Vinte anos

Muitos casais possuem uma música tema.
Normalmente uma baladinha que lembra algum momento íntimo dos dois.
E essa música traz lembranças e vira o símbolo deles.

Eu e Cida não temos uma música tema.

Até tentamos,
aliás, eu tentei.
Mas ela dizia que eram melosas demais!

Mas no fundo nós achamos até legal.
Desse jeito
qualquer música serve para falar ao coração em momentos com o de hoje!

Há 20 anos atrás você disse sim pra mim.
Aceitou casar com aquele moleque de 23 anos.
Um verdadeiro crianção!
Eu não tinha nada para te oferecer,
a não ser o meu amor.

Então no casamento a música do filme “Don Juan De Marco” tocou.
E eu não fui capaz de dançar a música toda,
fiquei envergonhado,
mas a música sempre nos marcará por isso.

Então vieram os primeiros anos de casados,
as primeiras bodas,
os filhotes,
e muita coisa aconteceu.

20 anos se passaram,
e ainda escrevo poemas pra você.
Não tanto quanto você gostaria,
mas eu me esforço!

E sempre que eu olho pra você,
e ainda lembro de quando nós dividíamos um prato feito na pensão do trabalho,
do pão de mel no cinema,
e picolé na praça do Campinho depois do expediente.

Lembro do meu tombo no ônibus,
da sessão de teatro perdida por causa do meu relógio que vivia atrasado,
dos namoricos depois da praia com beijos de gosto de sal.

Cada momento desse me faz lembrar uma música
que naquele instante era nossa.
Por isso eu acho que todas as músicas são nossas,
pois são nossos momentos.

Hoje, 20 anos depois,
eu quero dormir de conchinha,
quero olhar nos teus olhos e dizer o que Freddie Mercury cantou:

“Eu nasci para te amar
Com cada batida do meu coração
Sim, eu nasci para cuidar de você, querida
Todos os dias da minha vida”.

Sou feliz há 20 anos pois eu tenho você comigo,
Eu nasci pra te amar!