Oscar 2020 – Era uma vez um ano chamado 1917!

(Resenha com alguns ‘spoilers’. Leia por sua conta e risco!)

Depois de seis anos fazendo a minha lista de favoritos de melhores filmes do ano no Oscar, agora eu vou falar também de algumas outras categorias, e eu quero começar esse artigo ressaltando algumas características dessa edição. 

Para começar a falta de representatividade nas indicações de mulheres e negros. É fato que a Academia tem se esforçado nos últimos anos para reverter essa anomalia, mas não temos NENHUMA mulher e NENHUM negro indicados a melhor direção, sem falar que TODOS os indicados a melhores atores principais e coadjuvantes são brancos, e coube apenas a Cythia Erivo no filme Harriet, como a única indicada na categoria de melhor atriz!

Outra coisa que chama atenção é o grande número de indicações da Netflix esse ano, num total de 24, distribuídas entre 8 produções. Definitivamente, o ‘streaming‘ está entre nós, e não há mais como ignorá-lo. Dentre as produções, claro que um dos destaques é a indicação de Democracia em Vertigem da diretora Petra Costa concorrendo ao Oscar de melhor Documentário.

Por fim, o principal destaque vai para Coringa com suas 11 indicações, 1917, Era Uma Vez em… Hollywood e O Irlandês, todos com 10 indicações, lideram a disputa dessa edição, mas claro, muitas produções e artistas ficaram de fora da lista final de indicados, mas dessa vez eu vou citá-los dentro da própria categoria.

Então é isso vamos lá:

Roteiro Original

Além da crítica social, Parasita (minha escolha) é surpreendente há cada instante, com todos os personagens. É a minha escolha e acho que o embate fica entre ele e História de um Casamento, que é excelente, sensível e também merece ganhar.

Roteiro adaptado

Coringa chegou completamente desacreditado depois dos inúmeros fracassos da Warner/DC no cinema e surpreendeu a todos com um filme muito bem escrito. O que gerou milhares de teorias na Internet (e polêmicas também, claro!) sobre sua visão e a interpretação do Joaquim Phoenix. Impecável! É a minha escolha e acho que vai levar!

Efeitos visuais

Mesmo que o trabalho de rejuvenescimento no filme O Irlandês tenha ficado incrível, ainda sim, causou estranhamento para muitas pessoas. Rei Leão e Star Wars tem muita rejeição pelo filme si, então, provavelmente a briga ficará entre 1917 e Vingadores. E eu acho que dá o filme da Marvel e vou ficar bem feliz por isso!

Mixagem e Edição de som

Não tenho como opinar nessas categorias.

Curta-metragem

Não assisti nenhum dois indicados e também tenho como opinar.

Curta-metragem de animação

Só assisti Hair Love e Kitbull. Estou torcendo para Kitbull, o restante eu não posso opinar.

Design de produção

Categoria acirradíssima, e com estilos muito distintos entre si, acho que dá o filme do Tarantino com a sua Los Angeles dos anos 60. Excelente trabalho, mas não me surpreenderia se Parasita ganhasse.

Canção original

Dos 5 indicados, eu só assisti Toy Story 4, Harriet e Rocketman. Pra mim quem vence é (I’m Gonna) Love Me Again de Rocketman, e é a minha favorita também.

Trilha sonora original

Não é uma categoria forte, mas que vence é o Coringa.

Cabelo e maquiagem

Impressionante como a Charlize Theron ficou IDÊNTICA a ex-âncora da Fox News, Megyn Kelly no filme O Escândalo. Parecia que ela tinha usado uma prótese, mas é tudo maquiagem mesmo! 

Filme em língua estrangeira

Apesar de eu adorar Dor e Glória, Parasita leva de barbada esse prêmio, mesmo porquê eu não acredito que deva levar o prêmio de melhor filme.

Esnobado

O filme A despedida merecia uma indicação nessa categoria. Uma história doce, sensível, divertida e muito emocionante.

Montagem

A briga nessa categoria fica entre Ford vs Ferrari e O Irlandês. Ambos são ótimos, mas acho que vai rolar um prêmio de consolação para Ford vs Ferrari. Pesando contra O Irlandês, o fato de ser um filme da Netflix (Que a Academia ainda torce o nariz!) e suas mais de três horas de duração.

Documentário em curta-metragem

Não assisti nenhum dois indicados e também tenho como opinar.

Documentário em longa-metragem

Só assisti Indústria Americana e Democracia em Vertigem, e claro, estou torcendo para o filme brasileiro, mas acho que o documentário produzido pelos Obama’s é que levará o prêmio.

O filme é ótimo também e mostra o choque de culturas tão distintas de forma sensível e verdadeira.

Direção

Aqui vale fazer um protesto sobre a incoerência de termos 9 indicados como melhor filme do ano, e só 5 diretores concorrem ao prêmio. Além disso, aqui temos algumas ausências:

  • Greta Gerwig (Adoráveis Mulheres) – posso não gostar pessoalmente da linha do seu trabalho, mas ainda sim, acredito que ela merecia uma indicação
  • Lulu Wang (A despedida)
  • Lorene Scafaria (As golpistas)
  • Marielle Heller (Um lindo dia na vizinhança)

 

Sam Mendes de 1917 deve levar pela complexidade logística e inovação técnica de soluções para criar o seu filme praticamente em plano-sequência.

Figurino

Bem casado com design de produção, o figurino de Era uma vez em… Hollywood nos transporta numa viagem no tempo.

Fotografia

Mais uma barbada dessa edição. Roger Deakins depois de ser injustiçado no Oscar por tantas vezes, começa a recuperar o tempo perdido. 1917 é uma obra-prima de fotografia.

Outro excelente destaque é o filme claustrofóbico O Farol.

Animação

Pela primeira vez eu não assisti a nenhum filme! o.0

Ator coadjuvante

Uma das categoria mais acirradas dessa edição. Destaque para o belíssimo trabalho do Tom Hanks em Um lindo dia na vizinhança, mas acho que vai dar Brad Pitt. Sinceramente, eu realmente não consigo entender o ‘hype‘ do filme Era uma vez em… Hollywood. (TRETA!!!)

Atriz coadjuvante

Eu tenho outra opinião polêmica para essa categoria: acho que vai dar Laura Dern no ótimo filme História de um casamento, mas não acho o seu trabalho memorável. Ela tem uma cena que ela tem uma fala muito empoderada e isso lhe deu a sua indicação. Pra mim, ela interpreta a mesma personagem da série Big little lies!

O fato de mensagens importantes que precisam ser ditas e mostradas ao mundo, não garante bons filmes e interpretações. Esse é o caso da Laura Dern. De qualquer forma eu estou torcendo para Margot Robbie em O escândalo.

Esnobada

Quem ficou de fora dessa lista foi a Jennifer Lopez no filme As golpistas.

Atriz

Outra categoria acirrada. A Renée Zelweger deve levar pela incrível transformação que precisou fazer para o papel, e a Academia adora isso! 

Eu acho que o filme a prejudica muito por não entregar algo mais profundo, e nesse quesito, a Charlize Theron do filme O escândalo tem muito mais substância para entregar, pois o filme é muito melhor. 

Minha torcida nessa categoria é para Scarlett Joahansson do filme História de um casamento. Ela sim se entrega uma interpretação sensível, poderosa e dramática, justamente por ter um ótimo roteiro para atuar.

Esnobadas

Injustificável a Lupita Nyong’o não ser indicada nessa categoria. O que ela faz com a voz e a fisicalidade no filme Nós é inacreditável. Outra esnobada foi Awkwafina no filme A despedida.

Eu trocaria qualquer uma no lugar da Saoirse Ronan. Sinceramente eu não sei como ela tem 4 indicações de melhor atriz (1 coadjuvante e 3 principais). Acho ela absurdamente superestimada! (Outra treta!!!)

Ator

Outra categoria acirrada, mas ainda sim, é barbada. Joaquim Phonex fez o impossível: criar um novo Coringa depois do Heath Ledger. Ele é uma dos melhores atores da atualidade e ver a sua entrega para fazer esse papel é incrível.

Esnobado

Como assim no ano passado premiam Rami Malek como melhor ator e não indicam Taron Egerton por Rocketman??? Inaceitável!!!

Filmes esnobados

Indicados mas são decepcionantes!

Indicados que são ok

Bons filmes indicados

Indicados que eu gostei muito

Filmaços!!!

Resumo final

Mesmo com o maior número de indicações, acho bem difícil que Coringa se sagre vencedor. Há muito debate polarizado sobre a glamourização da violência e da sociopatia.

Sobre O Irlandês pesa o fato de ser uma produção de ‘streaming‘, ainda com o debate bastante acalorado sobre se é o não cinema, fora o tamanho do longa.

Parasita possui grande força, mas ainda sim, acho muito improvável que vença. O questão da língua não inglesa é uma grande barreira para a Academia, afinal, o Oscar é uma celebração do cinema de Hollywood!

Dessa forma eu acho que a Academia vai ficar entre 1917 e Era uma vez em… Hollywood

O primeiro por ser um clássico de premiações de filmes do gênero de guerra. Ainda mais com o enorme desafio técnico de filmar como se fosse tudo um grande plano-sequência e da grande dificuldade da maravilhosa cinematografia (fotografia) de inúmeras locações externas, influenciadas pelo clima e tempo.

Já Era uma vez em… Hollywood parece ser o Oscar da vez do Tarantino, tão injustiçado em edições anteriores como em Pulp Fiction e Bastardos Inglórios, principalmente pelo fato de focar num tema da própria Hollywood, e ser bem menos violento do que o habitual!

Por isso acho que Era uma vez em… Hollywood vencerá, mas a minha torcida está no Parasita!
Vai que acontece! 🙂

Eu acredito em Ted Lasso

E não é que eu curti Ted Lasso mesmo!? Confesso, eu torcia o nariz e nunca dava oportunidade pra série. Ontem eu terminei a primeira

Oscarizáveis 2021

Minha lista pessoal de prováveis indicados ao Oscars de 2021 com as minhas resenhas dos filmes assistidos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.