Sobre a tal “liberdade de expressão”

Com a polarização que assola o país (e o mundo também!), argumentos de censura sobre “opiniões” tem sido muito debatidas recentemente. 

O caso da vez é o jogador de vôlei Maurício de Souza do Minas Tênis Clube.

Quando foi noticiado que o personagem de história em quadrinhos Superman (Jonathan Samuel Ken) se descobrirá bissexual nas próximas edições, o Maurício de Souza fez o seguinte comentário no seu Instagram (que tem mais de 965k seguidores):

"Ah, é só um desenho, não é nada demais... Vai nessa que vai ver onde vamos parar"

Essa declaração gerou muitas críticas e ganhou espaço na mídia depois da enorme repercussão negativa nas rede sociais. À partir daí o que se viu foram marcas patrocinadoras se manifestando contrárias ao comentário do jogador pressionando o clube para afastá-lo.

Resultado: o Minas Tênis Clube o demitiu o Maurício de Souza e o técnico da seleção brasileira, Renan Dal Zotto disse que “Não tem espaço para profissionais homofóbicos na Seleção“.

O jogador pediu desculpas de forma genérica no seu Twitter onde só tem 1302 seguidores, alegando o velho clichê homofóbico “desculpe se eu ofendi alguém, não foi essa a minha intenção“.

Vamos falar sobre a liberdade de expressão

É garantida!

Tanto é, que ele pôde se expressar livremente. A publicação, inclusive está no ar, ele nem a apagou. O que o jogador não entende, é que a sua opinião é que é homofóbica.

Declarar que é errado ter um personagem bissexual é homofobia. Não é uma questão de censura! É uma questão de responsabilização por seus próprios atos, não de censura!

Responsabilização. Essa é a palavra:

O mesmo não aconteceu com o podcaster Monark que vem polemizando há bastante tempo, e o mais grave recentemente foi o seguinte:

A tal “liberdade de expressão” continua garantindo que ele possa manifestar o seu racismo. É seu Direito como cidadão dizer o que pensa. 

Responsabilizá-lo por seu racismo é nossa obrigação! 

Pena que instituição que deveria puni-lo, o Youtube, não o faz, e o podcaster continua destilando seus preconceitos em nome da tal “liberdade de expressão”!

Me sentindo um otário

Na boa. Eu não consigo entender as pessoas que vivem as vidas delas normalmente como se nada estivesse acontecendo!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.